quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 98 - Por Luiz Domingues

A história de "To Indo a Mil" é interessante, pois diz respeito à uma etapa anterior da minha carreira e a de Rodrigo Hid, também. Essa canção que era dele há muitos anos, na verdade era uma criação que trouxe logo no início dos trabalhos do Sidharta, banda que fundamos juntos em 1997. Nessa ocasião, chamava-se "Estar Feliz Consigo". Tratava-se de uma música bem ao estilo do R'n'B da velha guarda, estilo "Motown", com três partes bem construídas.

No tempo do Sidharta, foi arranjada nesses moldes da Black Music clássica, e era uma das nossas maiores esperanças de êxito para a carreira da banda, no futuro que projetávamos. Quando o Sidharta fundiu-se à Patrulha do Espaço, essa canção acabou ficando de fora dos planos iniciais da banda, mas particularmente, sempre acreditei no potencial pop que ela possuía.

Tanto foi assim, que eu e Rodrigo providenciamos a gravação de uma demo onde só eu e ele participamos, visando inscrever tal canção no Festival que a Rede Globo lançou em 2000. O Junior não quis entrar em estúdio oficialmente, mas não opôs-se ao nosso esforço isolado e assim, gravamos de uma forma muito caseira, utilizando um port-studio de 8 pistas, e o uso de uma bateria eletrônica. Claro que era uma gravação simples, mas mesmo assim, acredito ter ficado digna e suficiente para o envio ao festival. Claro que não fomos classificados, mas acredito que nem se a tivéssemos gravado oficialmente com a banda inteira e num estúdio de qualidade, teríamos logrado êxito, visto que num festival desses, a
possibilidade das cartas marcadas é grande. E por que mandamos, mesmo assim, sabendo tratar-se de algo quase impossível ? 

Ora, na dúvida, a única certeza que temos na realidade é que só não ganha mesmo na loteria, quem não faz uma aposta. O tempo passou e essa canção acabou não sendo mesmo aproveitada pela Patrulha do Espaço. Quando o Pedra iniciou suas atividades, o Rodrigo também não lembrou-se dela por ocasião do primeiro disco, mas quando começou a movimentação em prol do segundo, ele resgatou-a da gaveta. Eu entusiasmei-me, é claro, pois sempre apreciei-a e acreditava muito no seu potencial pop. Acreditava inclusive que ela encaixar-se-ia ainda melhor à mentalidade do Pedra, do que mesmo no Sidharta, e certamente mais em relação à Patrulha do Espaço.

Mas a música passou por algumas modificações, principalmente na questão da letra que foi totalmente reformulada e na melodia que ganhou modulações bem diferentes. A estrutura rítmica permaneceu na estética da Black Music clássica, contudo, embora de minha parte, a linha do baixo tenha mudado um pouco, acompanhando a criação do Ivan, diferente do que o Zé Luiz Dinola fazia no tempo do Sidharta.

A letra teve a colaboração do Xando, que sempre gosta de participar ativamente desse quesito, mas teve também uma sutil colaboração da atriz / cantora Lu Vitaliano, que inspirou um frase na construção da letra. Tal inspiração foi considerada vital e daí, seu nome ter sido incluído como parceira na composição. A música entrou enfim no "Pedra II" e tornou-se bem requisitada nos shows da banda.


O áudio de "Tô Indo a Mil", do disco :


Eis o Link para escutar no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=w4KdYfcmjfU

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário