terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada - Capítulo 30 - Por Luiz Domingues



Bem, o que ocorreu no desenvolvimento desse tema, foi que ele tornou-se muito nervoso, dando-lhe uma ambientação "esquizoide", lembrando o King Crimson dos primeiros tempos, e dessa forma, a interpretação do Ciro para declamar seu texto, ganhou tal amplitude de uma loucura desesperada, e claro que ficou muito intenso e entusiasmou a todos, principalmente o Ciro, é claro.

Não era exatamente o que eu estava imaginando, mas confesso que tal intensidade de um surto psicótico, agradou-me, pois era evidente que o Ciro usaria e abusaria desse tema para intensificar sua performance ao vivo.

E isso foi graças ao Carlinhos Machado, pois quando propus mostrar a ideia para ele, visto que fomos os primeiros a chegar no estúdio para o ensaio, ele a puxou num andamento muito além do que eu havia concebido, e dessa forma, mudou sua característica e deu-lhe ainda mais dramaticidade.

Os ensaios portanto, corriam num clima de acrescentar músicas novas sendo compostas ali no calor da ocasião e com interatividade coletiva.
Rara foto de um dos ensaios para o show do Sesc Piracicaba, de março de 2014, click da própria Isabela, que ficou fora do quadro. Da esquerda para a direita : Luiz Domingues; Carlinhos Machado; Ciro Pessoa (de costas), e Kim Kehl

Por exemplo, fora tais temas que já observei, havia uma canção composta ao violão pela Isabela, que estava semipronta com uma letra usando um poema de Manoel de Barros. Parecia uma canção Folk bem sessentista, lembrando coisas como "The Mamas and the Papas"; "Peter, Paul & Mary", e outros artistas similares, com uma certa docilidade.

Lembrava de certa forma também, Mutantes, nos seus tempos psicodélicos, e com a Rita Lee transitando entre a loucura explícita, e a docilidade ingênua, Pollyanesca.

A adaptação do Carlinhos Machado à banda estava excelente. Ele sentia-se preocupado em ter que decorar tantas músicas novas para ele em poucos ensaios, mas absolutamente ambientado e integrado, brincando nos ensaios.

Haveriam mais dois ensaios, mas com a inclusão de novas músicas, acho que o Carlinhos tinha certa razão para ficar apreensivo.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário