domingo, 6 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 245 - Por Luiz Domingues



Antes do show de lançamento do CD ".ComPacto", mas em meio aos seus preparativos, tivemos um compromisso avulso, não caracterizando ser data de uma turnê organizada pela logística.

O convite surgira da parte de um amigo de adolescência do Junior, e que não via há muitos anos. Esse rapaz agora era dono de uma casa noturna na cidade de Sorocaba, e ligada à uma escuderia de motoclube, portanto era um bar temático, e com atmosfera Rock'n Roll, de certa forma.

Chamava-se "Black Sheep Bar", aludindo à sua confraria de motoclube, naturalmente.

Chegamos na cidade de Sorocaba com muita tranquilidade, na tarde do dia 28 de março de 2003. Estava quente, como de hábito naquela pujante cidade interiorana.

A casa era rústica, mas bem montada, com decoração bem ao gosto dessas confrarias de motociclistas e certo ar Rock'n Roll.

O rapaz tinha o típico visual de motociclista, e foi bem bastante hospitaleiro, nos tratando muito bem e nos momentos mais relax do soundcheck e no jantar, conversou bastante com o Junior, relembrando os tempos de adolescência onde se conheceram nos anos sessenta. 

Uma visita agradável apareceu no soundcheck e ficou conosco o tempo todo até a partida de Sorocaba, durante a madrugada. Tratou-se de Ronaldo, um ex-roadie da Patrulha, que acompanhou a banda desde o final dos anos setenta, até a metade dos anos oitenta, e que durante o jantar, também contou várias histórias pitorescas sobre sua época na equipe técnica da banda. 

Por falar em jantar, ele nos levou num restaurante distante do centro da cidade, mas que valeu muito a pena, porque foi um jantar "pantagruélico" pela fartura absurda do buffet e portanto, uma temeridade em se considerando que tínhamos um show de Rock para realizar...e convenhamos, com as respectivas panças abastecidas daquele jeito, a tendência era uma digestão difícil, e com direito à sonolência.

Houve uma banda de abertura local, chamada "Noctívagos". 

Tive boa impressão de seus músicos e performance, mas não despertou-me o interesse maior, visto parecer transitar em estéticas que não me interessavam, como o Hard-Rock/Heavy Metal "modernoso" dos anos noventa, meio misturado com Funk-Metal de bandas daquela década como o "Faith no More", por exemplo.


Fizemos o nosso show, mas confesso que foi morno. O público presente não estabeleceu aquela sinergia a que estávamos habituados normalmente, embora houvesse um bom contingente presente.

Bem, preciso destacar que o equipamento não ajudou muito. O P.A. da casa, não era dos melhores e trabalhava além do limite de sua capacidade, essa é que a verdade. Para sonorizar apresentações intimistas, ao estilo voz e violão, ou no máximo um combo de jazz e/ou blues, acho que suportaria, mas uma banda de Rock e com a nossa volúpia...

Mesmo assim, não posso afirmar que não tenha sido bom. Creio que o som não ajudou e o público não se entregou à euforia como de costume, mas os mais antenados e fãs da banda, saíram satisfeitos com a performance. E fazia tempo que não visitávamos aquela cidade. A última vez que havíamos ido à Sorocaba, fora em 2000.

Bem, o próximo compromisso seria o show de lançamento oficial do álbum ".ComPacto" e que também gerou histórias...

Continua...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário