sexta-feira, 19 de junho de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 313 - Por Luiz Domingues


Bem, o Destroyer fez seu show habitual, e a casa estava com um bom público, mas cabe uma ressalva : haviam cerca de 200 pessoas no local, mas para os padrões daquele tempo, nós chegamos a considerar um público pequeno...imagine, do jeito que as coisas ficaram dos anos 90 em diante, 200 pessoas é sinal de grande sucesso hoje em dia.

Após o show do Destroyer, o locutor Richard fez sua intervenção bem agitada, promovendo sorteios, falando de seu programa logicamente, e a seguir, anunciou-nos.

Fizemos um show quase de choque, um pouco mais estendido, eu diria, e foi muito bom, embora o nosso som fosse infinitamente mais leve e o público presente fosse predominantemente headbanger. É o tal negócio : éramos respeitados nesse meio, apesar de mesmo em nossos momentos mais pesados, na época do Fran, nunca fomos uma banda de Heavy Metal, e para agravar ainda mais, com a entrada do Beto, havíamos ficado ainda mais leves, mais parecendo Hard Rock setentista, em alguns aspectos.

O Beto estava com um problema de garganta, sentindo dores nos dias que antecederam esse show. Consultou um médico e havia a suspeita de que fosse algo grave, um nódulo nas cordas vocais. De fato, cantou com um desconforto, mas na adrenalina do show, até solo vocal fez (em "Que falta me faz, Baby"), surpreendendo-nos, pois nós três sabíamos que ele estava com esse problema e que deveria conter-se, mas... 

Mas um problema extra musical estava do lado de fora das dependências do "Ácido Plástico". Informados por China Lee, vocalista do Salário Mínimo, ficamos apreensivos em saber que uma gang enorme de punks estava do lado de fora do estabelecimento, esperando o momento certo para invadir e promover um tumulto generalizado.
                    O vocalista do Salário Mínimo, China Lee

Diante da iminência de uma batalha campal, com grande chance de transformar-se em tragédia, os responsáveis pela casa chamaram a polícia que veio dispersar a troupe de brigões e assim, o público presente pode sair em segurança, deslocando-se à Estação do Metrô Carandiru, ou por outros meios, e nós músicos, pudemos também efetuar nossa saída em segurança, com nossos instrumentos, equipamentos etc.

Aconteceu no dia 14 de setembro de 1986, um sábado, no "Ácido Plástico", com cerca de 200 pessoas presentes.
Resenha desse show descrito acima, que foi publicada na revista Metal, nº 27

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário