quinta-feira, 18 de junho de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 92 - Por Luiz Domingues


Mesmo com todas as adversidades, gravamos todas as bases com relativa tranquilidade. 

Até músicas complexas, com características de Prog Rock, como "Terra de Minerais" e "Sendas Astrais", foram gravadas sem maiores dramas, em se considerando que as bases estavam sendo gravadas ao vivo.

Quando a gravação encerrou-se, na madrugada de segunda para domingo, corríamos contra o relógio, pois o dono do estúdio, e os funcionários chegariam para o expediente, logo cedo.

Mas na verdade, já estava amanhecendo e tentávamos aproveitar até o último segundo, gravando solos nos "overdubs" de guitarra, e teclados. 


Mas o dono do estúdio chegou um pouco mais cedo do que previa-se, e foi hilário ver sua reação ao deparar-se com uma amplificador colocado num banheiro externo do estúdio, para aproveitar a acústica, devido aos azulejos, etc e tal.

Fora esse espanto por ver uma maluquice, que jamais aconteceria na gravação de um disco brega com o qual estava acostumado a lidar, havia aquela enorme profusão de posters, e o aroma de "milhões" de incensos que queimamos naqueles quatro dias... 

Foi hilário ver a cara do sujeito, vendo aquele circo rocker montado no seu estabelecimento...

Então, encerramos a sessão e desmontamos tudo a toque de caixa, antes que os funcionários chegassem.

Marcaríamos sessões posteriores para a gravação das vozes, e a mixagem, mas muitas coisas aconteceriam, e nós nunca mixaríamos o disco nesse estúdio, e convenhamos, ainda bem que não...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário