domingo, 7 de junho de 2015

Autobiografia na Música - Sala de Aulas - Capítulo 70 - Por Luiz Domingues


Outra boa traquinagem que aprontaram foi na verdade, uma brincadeira dentro de minha própria sala de aulas. 

Numa certa ocasião, de total improviso, emboscaram um garoto que não era aluno, mas agregado das aulas por ser irmão de um aluno, e o forçaram a entrar no banheiro anexo à sala de aulas, para em seguida, descarregarem um tubo de aromatizador inteiro lá dentro. 

Nesse dia, confesso que fiquei preocupado, pois a brincadeira excedeu-se bastante, e o rapaz ficou sufocado. 

Claro que a brincadeira parou na hora, mas durante alguns minutos, cogitei levá-lo ao pronto-socorro.

Felizmente, ele recuperou-se e nada de grave aconteceu, mas lidando com adolescentes, é claro que coisas assim poderiam acontecer a todo instante, e minha responsabilidade era zelar pela integridade de todos, ainda que achasse sadio o clima de amizade estabelecida, o que tornava as minhas aulas muito mais agradáveis do que qualquer aula de música tradicional, de conservatórios sisudos. 


Lógico que eu tenho consciência de que esse caráter mega liberal, era atraente para eles, mas não havia maquiavelismo de minha parte, no sentido de querer deliberadamente angariar mais clientela com isso.

Apenas achava que era muito mais agradável para todos que as aulas fossem assim, despojadas, e havia um elemento implícito nessa determinação. 


Com aquela balbúrdia instaurada, as aulas não paravam um só instante, isto é : o aluno que estivesse no seu horário, não parava de estudar e prestar atenção nas minhas orientações, e a despeito disso, o que era um tremendo teste de percepção musical a que submetia-se.

Se o aluno conseguia absorver a aula nessas condições, estava preparado para tocar em qualquer circunstância, e de certa forma, uma didática absurda dessas, assemelhava-se à exercícios de aulas de teatro, e também de cursos de rádio e TV ministrados em faculdades, onde testes de percepção assim, são propostos para desenvolver os sentidos. 


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário