segunda-feira, 8 de junho de 2015

Autobiografia na Música - Pitbulls on Crack - Capítulo 80 - Por Luiz Domingues

Enquanto o processo de mixagem do álbum arrastava-se, nossas baterias concentravam-se nessa criação toda da capa, e aparato de divulgação. O novo diretor de marketing da gravadora (Alexandre Madeira), parecia empolgado com as ideias, e mesmo não entendendo os propósitos contraculturais envolvidos, comprou a ideia pelo exotismo e devo ser franco, foi à luta no mercado, viabilizando patrocínios. Dessa forma, todo o conceito do aparato foi crescendo e ganhando uma dimensão maior do que imagináramos inicialmente. E certamente o papel desse diretor de marketing foi importante.

Surgiu a ideia do disco ser lançado dentro de uma lata, rotulada com motivos psicodélicos e dentro, além do CD, uma série de brindes, sem no entanto onerar o custo final ao consumidor, pois estaria tudo patrocinado. E um dos primeiros patrocínios que ele conseguiu, foi de uma famosa fábrica de rações para cães. Com isso, um pacote de 1 Kg de ração, estaria inserida nessa lata.
Mesmo parecendo uma bobagem óbvia associar ração de cachorro ao nome "Pitbulls on Crack", não podíamos deixar de comemorar tal patrocínio. Mas no restante do material, aí sim, as referências aos anos sessenta seriam explícitas (ou deveriam ser, como veremos no decorrer da narrativa).
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário