sábado, 6 de junho de 2015

Autobiografia na Música - Sala de Aulas - Capítulo 49 - Por Luiz Domingues


Com a boa perspectiva que o Pitbulls on Crack encerrou o ano, lançando duas músicas na coletânea da gravadora Eldorado, meu exército de alunos tinha tudo para participar ainda mais desse processo, auxiliando, e não foi de outra maneira que ocorreu, já no início de 1994.

A dinâmica de minha sala de aulas estava solidificada com essa nova safra de alunos, e a amizade sedimentada entre nós.

Bandas ali se formavam; intercâmbio de informações; discos; livros e outros itens, se intensificaram. 


Turmas começaram a se formar, para ir à lojas de discos e shows de Rock na cidade, nacionais ou internacionais. Só faltava usarem um uniforme de minha "escola"...

A balbúrdia era grande na minha sala de aulas, controlando a testosterona em ebulição de um monte de adolescentes e outros nem tanto, fora os nada adolescentes, também, mas o ambiente era extremamente divertido, sadio e promissor, visto que nessa altura, já dava para sentir que estava se formatando o embrião de um movimento cultural muito forte, com a perfeita sincronia de ideais de outrora, devidamente revitalizados pela juventude ali presente.

O Pitbulls on Crack não era a plataforma ideal para tal empreitada estética que desejávamos, contudo, foi amalgamando-se à essa euforia que ali nascia. 


Muito desse espírito "sixtie" de minha sala de aulas, contaminou o Pitbulls, principalmente no ano de 1996, quando do lançamento de seu primeiro álbum de fato e toda a atmosfera mercadológica que o cercou.

Essa história já está contada no capítulo do Pitbulls on Crack. 


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário